segunda-feira, 13 de junho de 2011

VALORES


Tema Gerador: Valores.

Público Alvo:
Crianças: Leitores da Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Objetivo:
A falta de limites e a discriminação são problemas enfrentados no dia-a-dia da sala de aula, queremos refletir, de maneira lúdica, sobre a questão de valores a partir da história “Patinho Feio”.

Materiais e recursos utilizados:
-Leitura de textos literários:
- Poema “O Pato”, de Vinicius de Moraes;

O Pato
Vinícius De Moraes
Lá vem o pato
Pata aqui, pata acolá
Lá vem o pato
Para ver o que é que há.

O pato Pateta
Pintou o caneco
Surrou a galinha
Bateu no marreco
Pulou do poleiro
No pé do cavalo
Levou um coice
Criou um galo
Comeu um pedaço
De jenipapo
Ficou engasgado
Com dor no papo
Caiu no poço
Quebrou a tigela
Tantas fez o moço
Que foi parar na panela.

- Livro “O Patinho Feio”, Recontado por Ruth Rocha
Ilustrações: Maria Eugênia. Editora: FTD.
História “O Patinho Feio”.
-Leitura de música “Cinco Patinhos”, da Xuxa;
Cinco Patinhos
Composição : Xuxa
Cinco patinhos foram passear
Além das montanhas
Para brincar
A mamãe gritou: Quá, quá, quá, quá
Mas só quatro patinhos voltaram de lá.

Quatro patinhos foram passear
Além das montanhas
Para brincar
A mamãe gritou: Quá, quá, quá, quá
Mas só três patinhos voltaram de lá.

Três patinhos foram passear
Além das montanhas
Para brincar
A mamãe gritou: Quá, quá, quá, quá
Mas só dois patinhos voltaram de lá.

Dois patinhos foram passear
Além das montanhas
Para brincar
A mamãe gritou: Quá, quá, quá, quá
Mas só um patinho voltou de lá.

Um patinho foi passear
Além das montanhas
Para brincar
A mamãe gritou: Quá, quá, quá, quá
Mas nenhum patinho voltou de lá.

A mamãe patinha foi procurar
Além das montanhas
Na beira do mar
A mamãe gritou: Quá, quá, quá, quá
E os cinco patinhos voltaram de lá.




-Vídeo “O Patinho Feio e o Perdão”.




-Leitura de Imagem

*Por que o pato foi parar na panela?
*Como está a expressão dele?
*O que mais poderia ter acontecido com ele?
*O para na panela significa que ele vai servir de alimento para alguém ou que se deu mal?



Etapas propostas:
-Contar a história “O Patinho Feio”, Recontado por Ruth Rocha. Ilustrações: Maria Eugênia. Editora: FTD.
- Elaborar um texto coletivo no quadro;
-Retomar oralmente, atitudes dos personagens;
-Desenhar, em grupos: Início, Meio e Fim da história.
  

sábado, 11 de junho de 2011

TEMPO

EXPERIÊNCIA REALIZADA NO 2º ANO DO ENSINO MÉDIO E EJA.

TEMA: Tempo

Disciplinas: Ensino Religioso e Artes.

TEXTO BÍBLICO:

Eclesiastes 3 ,1-8

POEMA:

O tempo

A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Mário Quintana

MENSAGEM:

“Os Domingos precisam de feriados”.

(Rabino Nilton Bonder)

Toda sexta-feira à noite começa o shabat para a tradição judaica.
Shabat é o conceito que propõe descanso ao final do ciclo semanal de
produção, inspirado no descanso divino, no sétimo dia da Criação.

Muito além de uma proposta trabalhista, entendemos a pausa como
fundamental para a saúde de tudo o que é vivo. A noite é pausa, o inverno é pausa, mesmo a morte é pausa. Onde não há pausa, a vida lentamente se extingue.

Para um mundo no qual funcionar 24 horas por dia parece não ser
suficiente, onde o meio ambiente e a terra imploram por uma folga, onde nós mesmos não suportamos mais a falta de tempo, descansar se torna uma necessidade do planeta.

Hoje, o tempo de ‘pausa’ é preenchido por diversão e alienação. Lazer
não é feito de descanso, mas de ocupações ‘para não nos ocuparmos’. A
própria palavra entretenimento indica o desejo de não parar. E a
incapacidade de parar é uma forma de depressão.

O mundo está deprimido e a indústria do entretenimento cresce nessas
condições. Nossas cidades se parecem cada vez mais com a Disneylândia.
Longas filas para aproveitar experiências pouco interativas. Fim de dia com gosto de vazio. Um divertido que não é nem bom nem ruim. Dia pronto para ser esquecido, não fossem as fotos e a memória de uma expectativa frustrada que ninguém revela para não dar o gostinho ao próximo.

Entramos no milênio num mundo que é um grande shopping. A Internet e a televisão não dormem. Não há mais insônia solitária; solitário é quem dorme.
As bolsas do Ocidente e do Oriente se revezam fazendo do ganhar e perder, das informações e dos rumores, atividade incessante. A CNN inventou um tempo linear que só pode parar no fim.

Mas as paradas estão por toda a caminhada e por todo o processo. Sem
acostamento, a vida parece fluir mais rápida e eficiente, mas ao custo
fóbico de uma paisagem que passa. O futuro é tão rápido que se confunde com o presente. As montanhas estão com olheiras, os rios precisam de um bom banho, as cidades de uma cochilada, o mar de umas férias, o domingo de um feriado.

Nossos namorados querem ‘ficar’, trocando o ‘ser’ pelo ‘estar’. Saímos
da escravidão do século XIX para o leasing do século XXI – um dia seremos nossos?

Quem tem tempo não é sério, quem não tem tempo é importante. Nunca
fizemos tanto e realizamos tão pouco. Nunca tantos fizeram tanto por tão poucos.

Parar não é interromper. Muitas vezes continuar é que é uma
interrupção.

O dia de não trabalhar não é o dia de se distrair – literalmente, ficar
desatento. É um dia de atenção, de ser atencioso consigo e com sua vida. A pergunta que as pessoas se fazem no descanso é ‘o que vamos fazer hoje?’ – já marcada pela ansiedade. E sonhamos com uma longevidade de 120 anos, quando não sabemos o que fazer numa tarde de Domingo.

Quem ganha tempo, por definição, perde. Quem mata tempo, fere-se
mortalmente. É este o grande ‘radical livre’ que envelhece nossa alegria – o sonho de fazer do tempo uma mercadoria.

Em tempos de novo milênio, vamos resgatar coisas que são milenares. A
pausa é que traz a surpresa e não o que vem depois. A pausa é que dá sentido à caminhada. A prática espiritual deste milênio será viver as pausas. Não haverá maior sábio do que aquele que souber quando algo terminou e quando algo vai começar.

Afinal, por que o Criador descansou? Talvez porque, mais difícil do que
iniciar um processo do nada, seja dá-lo como concluído.

VÍDEO:

http://www.google.com.br/#hl=pt-BR&q=+%E2%80%9COs+Domingos+precisam+de+feriados%E2%80%9D.&oq=+%E2%80%9COs+Domir

IMAGEM:

Relógio

http://1.bp.blogspot.com/_TdR3qK1LJd4/SlidYETmRuI/AAAAAAAAag8/tj7su9OVxCY/s400/relogio-um-escravo-do-tempo.jpg

Música:

Epitáfio

Titãs

Composição : Sérgio Britto

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...

Queria ter aceitado
As pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria
E a dor que traz no coração...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...

Devia ter complicado menos

Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor...

Queria ter aceitado
A vida como ela é
A cada um cabe alegrias
E a tristeza que vier...

O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...(2x)

Devia ter complicado menos
Trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr

http://letras.terra.com.br/titas/48968/

PESQUISAR:

a) Significado da palavra epitáfio;

b) Epitáfios de pessoas famosas.

*EXPLANAR SOBRE O SIGNIFICADO DA PALAVRA EPITÁFIO

PEDIR QUE OS ALUNOS ANALIZEM AS CINCO PRIMEIRAS ESTROFES INDIVIDUALMENTE OU EM GRUPO E LOGO APÓS DESCREVAM RESUMIDAMENTE O QUE CONCLUÍRAM;

*PROPOR DISCUSSÃO COM CADA ESTROFE PODENDO ABORDAR OS SEGUINTES TEMAS;

1ª ESTROFE: SENTIMENTOS, VALORIZAÇÃO DA NATUREZA,CORAGEM, PRUDÊNCIA E REALIZAÇÃO;

2ª ESTROFE: RESPEITO E ATITUDES POSITIVAS, ENTENDER QUE CADA UM TEM SEUS PROBLEMAS E NENHUM É MAIS OU MENOS IMPORTANTE QUE OUTRO;

3ª ESTROFE NÃO CONTAR APENAS COM A SORTE OU AJUDA DE OUTROS E SIM CORRER ATRÁS DO QUE ANSEIA;

4ª DAR A IMPORTÂNCIA NECESSÁRIA E NA MEDIDA CERTA PARA OS PROBLEMAS, NÃO AUMENTAR O PROBLEMA, POIS PROBLEMAS SEMPRE EXISTIRÃO, CABENDO A NÓS RESOLVÊ-LOS DA MELHOR MANEIRA POSSÍVEL.

SOCIALIZAÇÃO EM GRANDE GRUPO.